Os atendimentos psicossociais e psicopedagógicos são fundamentais para a completa reabilitação dos pacientes, complementando os tratamentos médicos. A proposta do projeto “A Escola no Hospital” é melhorar o desempenho escolar dos pacientes por meio de situações de aprendizagem, permitindo que se sintam interligados com o mundo externo, estimulando o contato com a escola e conteúdos acadêmicos, além de trabalhar sua inserção social. O apoio financeiro para a continuidade e expansão do projeto permitirá atender 130 pacientes em tratamento no hospital.

Devido às anomalias craniofaciais, muitos pacientes são marginalizados ou mesmo reconhecidos como incapazes, embora nem toda anomalia seja acompanhada de déficit cognitivo e/ou motor. O tratamento é longo e complexo, envolvendo a atuação de uma
equipe interdisciplinar, de modo a favorecer o desenvolvimento biopsicossocial. Na maioria das vezes o tratamento exige consultas frequentes e eventuais cirurgias, por isso os pacientes se ausentam por mais períodos da escola. Essa ausência prejudica ainda mais a absorção adequada do conteúdo e os vínculos com a escola, aumentando as dificuldades de aprendizagem.